Galego. Porta aberta. Para o mundo.

 

 

OBJETIVOS

Hoje a língua galega experimenta uma situação crítica: todos

os indicadores alertam sobre o seu esmorecimento

progressivo, especialmente entre falantes jovens. Como

símbolo de identidade coletiva nuns tempos onde o termo

nação suscita controvérsias, as políticas ensaiadas para a

sua promoção e dinamização não semelham ter produzido

resultados satisfactórios. Nesse contexto, o curso Galego,

porta aberta para o mundo tenciona abrir um debate entre

diferentes agentes sociais, políticos e culturais e analisarmos

as hipóteses de promoção da língua à luz da Lei Paz

Andrade, aprovada no Parlamento Galego, e destinada a

introduzir o português na educação e nos meios de

comunicação para frear a morte da língua desenvolvendo as

suas possibilidades internacionais. O galego internacional

implica aceitar uma comunidade de variantes na lusofonia

que apaga fronteiras numa sociedade cada vez mais

interconectada, dinámica e plural. As suas vantagens

culturais e económicas, os seus alicerces filológicos e

sociolinguísticos e a sua potencialidade para revitalizar o

idioma serão estudados com detalhe. Explicarmos o como e

o porquê desta opção, estudarmos as suas consequências

no ensino, nos produtos culturais e simbólicos e na realidade

económica imediata, sem excluirmos as posturas críticas ou

céticas tornou-se numa questão fulcral para a sociedade

galega atual; um assunto, aliás, que liga o passado com o

futuro, o nosso território e a nossa cultura com outras

geografias e perceções da realidade, visando recuperar o

papel da Universidade como espaço de ponte entre as

teorias académicas e o bem-estar social.

 

PROGRAMA

26/06 Do que estamos a falar

9:30 Inauguração a cargo de Valentín García, Secretario

Xeral de Política Lingüística.

10-11:30: Os grupos políticos e a Lei Paz Andrade. Mesa

redonda. Moderador:  Ângelo Cristóvão, vice-presidente da

AGLP. Participam: Concepción Burgo (deputada no

Parlamento Galego, PSOE), Ánxeles Cuña (deputada no

Parlamento Galego, En Marea), César Fernández Gil

(deputado no Parlamento Galego, PP), Olalla Rodil

(deputada no Parlamento Galego, BNG).

12-13:30: Pode ser o galego uma oportunidade? Valentim R.

Fagim (prof. de português na EOI) e José Ramom Pichel

(engenheiro informático).

16-17:30: Que foi do português no ensino? Mesa redonda.

Moderador: Carlos Quiroga (prof. da USC). Participantes:

Miguel Rios (prof. de ensino secundário) Carme Saborido

(prof. de ensino secundário), Carlos Valcárcel (prof. da UDC).

18-20: Empresas que prometem romper fronteiras.

Participantes: Paulo Cundins (Dinahosting), José Ramom

Pichel (imaxin/software), Ramom Pinheiro (aCentral Folque),

Manuel Vázquez (Rede Galega de Empresas).

27/06 Estratégias para internacionalizar a língua

10-11:30: Aprender e desaprender galego-português a toda a

rapidez. Antia Cortiças e Valentim Fagim (professores de

português na EOI).

12-14:00: Dinâmica de grupos: o dilema de mudarmos de

hábitos. Sabela Fernández (prof. de ensino secundário) e

Teresa Moure (prof. da USC).

16–17:30: Como nos vêem lá fora? Marco Neves (prof. na

Univ. de Lisboa) e Joana Magalhães (Investigadora pós-

doutoramento no Instituto de Investigación Biomédica da

Corunha)

18-20: Em carne viva. Recital com as poetas Susana Arins,

Tiago A. Costa, Mário Herrero, Concha Rousia.

28/06 Pontos críticos

10-11:30: Argumentos céticos ou contrários ao galego

internacional. Antón Dobao (linguista na CRTVG)

12-13:30: Que se passa com as mulheres e a língua? Mesa

redonda. Moderadora: Llerena Perozo (editora).

Participantes: Susana Arins (prof. ensino secundário), Antia

Cortiças (prof. na EOI), Raquel Miragaia (prof. ensino

secundário).

16-17:30: Documentário Porta para o exterior e debate com

@s autor@s. Sabela Fernández e José Ramon Pichel.

18-20:00: Editar no padrão internacional, o que pensam as

editoras. Mesa redonda. Moderador: Roberto Samartim (prof.

da UDC). Participantes: Manuel Bragado (Xerais), Francisco

Castro (Galaxia), Teresa Crisanta Pilhado (Através), Rafael

Xaneiro (Axóuxere).

29/06 A obter conclusões

10-11:30: O futuro da língua em cifras. Jorge Mira (prof. da

USC)

12-14:00: Pode o audiovisual acelerar o encontro cultural

galego-português? Moderadora: Fernanda Tabarés (dir. de

Voz Audiovisual). Participantes: Fernando R. Ojea, dir. de

Contidos da CRTVG e Teresa Paixão, diretora de programas

RPT2.

16-17:30: Stop Apartheid e conclusões do curso. Mário

Herrero (tradutor, poeta e investigador) e Teresa Moure (prof.

da USC).

18-19:30: Palestra de clausura: Língua, cultura e comunidade

galega: Tentativas para maior coesão e satisfação. Elias J.

Torres (prof. da USC)

19:30 Entrega de diplomas